Dicas para reduzir custos com assistência médica na sua empresa

Minimizar custos e ganhar competitividade são metas que estão na pauta de qualquer empresa. O desafio é encontrar oportunidades para economizar, sem que isso comprometa a motivação das equipes.

A assistência médica está entre os principais anseios do trabalhador brasileiro e, apesar do benefício representar uma parcela importante na folha de pagamento, é considerado um fator de retenção e satisfação dos funcionários com a instituição.

Confira neste post algumas dicas infalíveis de como reduzir custos com assistência médica na sua empresa, sem que o benefício perca qualidade.

Incentive a utilização responsável do plano de saúde

O índice de sinistralidade é a principal variável analisada pelas operadoras para determinar o reajuste das apólices. Um número exagerado e desnecessário de consultas, exames e procedimentos pode significar um custo acima do planejado para o próximo período.

Para evitar este cenário, a ordem é conscientizar as pessoas sobre os benefícios da utilização responsável e adequada do plano. Algumas operadoras oferecem ações educativas para este fim, ferramentas on-line que facilitam a marcação de consultas e orientações básicas por telefone que contribuem para otimizar a solução de problemas e minimizar visitas indevidas aos consultórios e pronto-atendimentos que, em muitos casos, são marcadas por longas horas de espera.

O uso consciente do plano é vantajoso para empresas e operadoras de saúde, mas principalmente para os beneficiários, que aprendem a lidar melhor com cada situação e encontram alternativas para um atendimento mais rápido e eficiente.

Invista em programas e ações de promoção da saúde

A matemática é simples: pessoas que mantêm hábitos de vida saudáveis reduzem os fatores de risco para o adoecimento e, naturalmente, frequentam menos os consultórios médicos.

Sedentarismo, má alimentação, estresse elevado e postura inadequada estão entre os principais causadores de afastamentos ou desenvolvimento de doenças crônicas, que resultam em acompanhamento médico constante.

Seja por meio de ações pontuais, eventos ou com a implantação de um programa continuado, o objetivo é inspirar e apoiar seus funcionários para que tomem melhores decisões sobre a saúde. No post “3 Técnicas de Sucesso para Promover Saúde e Bem-Estar“, você encontrará excelentes ideias!

Considere a coparticipação nos planos

No sistema de coparticipação, os empregados assumem parte do valor da consulta, exames ou tratamentos realizados. Esta é uma medida eficaz para a contenção dos custos, mas deve ser implantada com cuidado.

Uma vez que a empresa oferece a assistência completa e escolhe adotar um novo modelo de coparticipação, tal decisão pode gerar insatisfação dos funcionários e, para que a medida não traga um efeito negativo, é recomendável que seja claramente justificada, comunicada de forma transparente e que termos essenciais, como valores e percentuais praticados, sejam discutidos em conjunto.

A coparticipação não altera a qualidade dos atendimentos e é uma forma de manter as despesas controladas, sem que o funcionário seja prejudicado com a exclusão de um benefício tão valorizado.

Gostou das sugestões do post? Comente abaixo!

Cadastre seu e-mail e receba as novidades